C&D Constituição & Democracia Nº 1 (Janeiro de 2006) A CONSTITUIÇÃO AMEAÇADA

C&D Constituição & Democracia Nº 1
(Janeiro de 2006)
A CONSTITUIÇÃO AMEAÇADA

A CONSTITUIÇÃO AMEAÇADA

EDITORIAL

Observatório da Constituição e da Democracia

Observar é, antes de tudo, interferir. Um observatório representa uma tentativa de atuação e análise crítica de uma sociedade plural, complexa, rápida e pulsante como a brasileira. Num contexto em que novos sujeitos de direito se afirmam, re-significando o cenário político e procurando inserir demandas por reconhecimento, qualquer observação que tenha compromisso com a seriedade, pluralidade, rigor crítico e independência deve passar por duas construções fundamentais da contemporaneidade: a democracia e a constituição.

No caso do Brasil, o percurso em direção a uma ordem constitucional democrática foi acidentado, assimétrico, repleto de intercorrências. A invenção democrática e a construção constitucional estão, contudo, em seu início. O Observatório da Democracia e da Constituição, que ora se apresenta, parte da pressuposição de que os caminhos da sociedade, da política e do direito incluem, necessariamente, a interlocução constante, aberta e livre entre as organizações formais e a sociedade civil. Entende-se, portanto, que a atuação dos organismos tradicionais de circulação do poder político – Casas Legislativas, Judiciário, Governo – só pode ser compreendida, analisada e criticada num contexto mais abrangente. Trata-se, então, de uma dimensão ampliada de observação, que lança seu olhar sobre as trocas comunicativas que ocorrem entre os poderes constituídos e a sociedade civil. A partir desse olhar, pode surgir um panorama muito mais diversificado e intrincado que revelará movimentos de reivindicações de direitos, estratégias de contenção e possibilidades de atuação dos sujeitos sociais no mundo contemporâneo. Daí a importância de voltar a atenção para o papel da mídia, para a dinâmica dos movimentos sociais e para a atuação das entidades não-governamentais.

Estes são os objetivos do Observatório da Constituição e da Democracia, concebido pelo Grupo de Pesquisa Sociedade, Tempo e Direito que reúne professores, pesquisadores e estudantes da Faculdade de Direito da Universidade de Brasília. O STD integra a Plataforma Lattes, Diretório de Grupos de Pesquisa, do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico). A atuação do grupo procura realizar um modelo de intervenção acadêmica que alia a orientação para altos estudos com a preocupação de contribuir para a solução dos problemas políticos candentes em nossa sociedade. Daí a associação natural com os parceiros promotores deste novo espaço editorial: o jornal Tribuna do Brasil (num alargamento de uma cooperação já bem sucedida, por meio da coluna semanal UnB/Tribuna do Brasil. O Direito Achado na Rua) e as organizações sindicais que inicialmente emprestam seu selo a este projeto (outras poderão depois a elas se juntar): Fenadados, Sindjus DF, Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados e Sindicato dos Bancários do Distrito Federal, cuja representação sindical se mostra culturalmente ampliada por compromissos de fortalecimento da cidadania e de inclusão de todos os brasileiros nos resultados da riqueza socialmente produzida.

A estrutura do caderno Constituição & Democracia foi concebida para abarcar essa ordem de preocupações. Cada exemplar possui um tema cen- tral, que é explorado e desdobrado em várias contribuições críticas. Seguem artigos livres, de conjuntura, que abordam aspectos atuais da dinâmica soci- al, política e jurídica, nos planos nacional e internacional. Há uma entrevista mensal, concedida por um convidado, em posição estratégica de análise e que procura aprofundar a discussão sobre algum tema na ordem do dia da política e do direito. Como uma consequência das propostas de nosso caderno, em todos os números haverá três observatórios, que voltarão seu olhar para o Legislativo, para o Judiciário e para os movimentos sociais. Finalizando cada volume, a coluna subscrita por Boaventura de Sousa Santos, do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, atualiza uma tradicional interlocução que o mais festejado sociólogo português mantém há anos, no Brasil, com pesquisadores da UnB e de outros centros de estudos brasileiros e também com as organizações dos movimentos sociais.

Nossa proposta, então, é a de um Observatório que se inclui no tempo histórico, social, político e jurídico. E que procure visualizar, mediante várias lentes, a fascinante complexidade da Democracia e da Constituição no Brasil.

Grupo de Pesquisa Sociedade, Tempo e Direito
Faculdade de Direito - Universidade de Brasília

Publicado por Paulo Rená

Mestre em Direito, Estado e Constituição (UnB), professor universitário, pesquisador, ativista, servidor público federal, foi gestor da elaboração coletiva do Marco Civil da Internet no Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: